Geral

 Paraná registra mais de 1,2 mil denúncias de violência contra o idoso em 2022 

Os dados demonstram que este tipo de crime está na lista do 10 mais registrados, sendo, muitas vezes o agressor, do núcleo familiar do idoso 

 

Grande parte dos maus tratos são cometidos por membros da vítimas, incluindo filhos e netos.
 

O Junho Violeta alerta para o combate à violência contra a pessoa idosa, lembrando o quanto é importante observar e lutar pelos diretos das pessoas na terceira idade. Entretanto, o problema ainda está longe de ser resolvido. No Paraná, segundo dados divulgados pela Agência Estadual de Notícias, das 45 mil denúncias recebidas entre os meses de janeiro e novembro de 2022 pelo Disque-Denúncia 181, programa da Secretaria da Segurança Pública (Sesp), 1.270 (3%) são relacionadas à violência contra a pessoa idosa. O que impressiona, é que grande parte dos maus tratos são cometidos por membros da família da vítima, incluindo, filhos e netos, com casos que vão desde agressão física e moral, abuso financeiro até a estupro.
 

Para a Coordenadora do Curso de Direito da Anhanguera, Camila Escorsin Scheifer, essa é uma realidade, em que muitas vezes, a vítima tem receio de denunciar em função do agressor ser um ente próximo. Segundo a docente, os idosos são vítimas de violência física, psicológica e abandono. “É importante ressaltar que a violência contra idosos pode ocorrer em qualquer relacionamento em que exista uma expectativa de confiança, incluindo relações familiares, institucionais e comunitárias”, diz.
 

Porém, há uma legislação que é responsável pelo direito do idoso, em que ele, ou qualquer outra pessoa, pode fazer denúncias. A pessoa poderá denunciar por diversos meios, seja através das Polícias Militar (190) ou Civil (197), o Disque 100 (que funciona diariamente, 24 horas por dia, 7 dias por semana) e canais eletrônicos. Ademais, órgãos como o Ministério Público, mais específico a Promotoria de Justiça com atribuição em matéria do Idoso, podem ser procurados para defesa dos direitos difusos e coletivos dessa classe uma vez que forem violados.
 

O Paraná é apenas mais um dos estados que vivenciam situações assim. No Brasil, em 2021, foram registrados 33,6 mil casos de violência contra pessoas idosas no Disque 100, plataforma federal que acolhe violações contra os direitos humanos. Para Camila, nesse cenário, é essencial evitar a perpetuação da vulnerabilidade do idoso, sendo fundamental que a família exercite o amor e a paciência para lidar com os desafios da terceira idade. “As pessoas idosas precisam de uma combinação de elementos para promover seu bem-estar e qualidade de vida. Algumas das principais necessidades das pessoas idosas neste momento incluem, saúde física e mental, segurança, integração, suporte familiar e respeito”, completa.
 

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo