Arapongas

Colégio de Arapongas será investigado por aula com símbolos nazistas

Um caso ganhou repercussão nacional e levantou questões sobre a educação e o respeito à história em uma escola da cidade de Arapongas-PR. O Colégio Cívico Militar Marquês de Caravelas, em Arapongas, se tornou o centro de uma polêmica após uma aula de história que reproduziu símbolos nazistas, incluindo a imagem de Adolf Hitler, e entrevistou a filha de um soldado nazista.

A situação veio à tona quando prints de imagens da aula foram divulgados nas redes sociais, gerando indignação e preocupação na comunidade local. As imagens mostram jovens vestidos com roupas pretas, ao lado de um manequim com bigode, claramente fazendo referência a Adolf Hitler. Além disso, bandeiras com suásticas estavam presentes no local.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) abriu uma investigação sobre o fato. A 2ª Promotoria de Justiça de Arapongas trabalhará em conjunto com a Polícia Civil (PC-PR) para apurar os detalhes da aula e suas implicações. Além disso, a Secretaria de Estado da Educação (Seed) também está investigando o incidente.

Um elemento que gerou ainda mais indignação foi a entrevista realizada com a filha de um soldado nazista durante a mesma aula. A gravação dessa entrevista foi exibida para outras turmas na escola, levantando preocupações sobre como o tema do nazismo foi abordado de forma inapropriada e insensível.

O portal G1, deu destaque a matéria e revelou que o Museu do Holocausto de Curitiba se manifestou sobre o ocorrido, afirmando que a atividade realizada pela professora “relativiza os crimes nazistas”. O museu reconheceu que o uso de decorações e salas temáticas é uma prática didática comum, mas enfatizou a importância do cuidado ao abordar temas sensíveis como o nazismo.

Fonte da matéria: Blog do Berimbau

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo