GeralÚltimas Notícias

Sobe para 21 mortos com a passagem do Ciclone no Rio Grande do Sul

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, confirmou 21 mortes pela passagem do ciclone extratropical que atingiu o estado na segunda-feira (4). Desse total, 15 óbitos ocorreram apenas na cidade de Muçum.

De acordo com a Defesa Civil estadual, o efetivo do Corpo de Bombeiros foi vistoriar, nesta terça-feira (5), residências na cidade e localizou 15 corpos.

Os alagamentos e estragos por conta das fortes chuvas afetaram mais de 50 cidades. Foram registradas fortes rajadas de vento, aumento do nível dos rios.

Outras seis mortes foram confirmadas entre segunda e terça, em cidades do Norte do RS.

Os alagamentos e estragos por conta das fortes chuvas afetaram mais de 50 cidades. Foram registradas fortes rajadas de vento, aumento do nível dos rios. Por conta disso, pessoas ficaram desabrigadas.

Passagem do ciclone no RS

21 mortos
426 desabrigados
55 cidades afetadas

Morte durante resgate

O governador Eduardo Leite informou, no início da tarde, que a sexta morte foi confirmada em decorrência da enchente. Foi um acidente durante um resgate que se realizava em Lajeado, sobre o Rio Taquari. O cabo no qual um policial militar resgatava um idosa se rompeu e ambos caíram no rio. A idosa não resistiu e o PM foi resgatado em estado grave para um hospital da região.

Em Santa Catarina, um homem morreu após o carro em que ele estava ser atingido por uma árvore durante a tempestade e ventos de até 110 km/h. Outras três pessoas ficaram feridas em Balneário Camboriú e Itajaí, no Litoral Norte.

De acordo com o mais recente balanço divulgado pela Defesa Civil do RS, o número de desabrigados é de 426. São 215 desalojados. As cidades mais atingidas são das regiões Norte, Serra e Vale do Taquari.

 

Formação do ciclone

O fenômeno teve origem em um sistema de baixa pressão, que já provocou chuvas intensas, e se deslocou em direção ao oceano, ganhando intensidade.

Previsão para os próximos dias

Enquanto a frente fria avança em direção a São Paulo, o ciclone extratropical que se formou no Rio Grande do Sul deve se afastar do Brasil nesta terça-feira (5), como informa o Climatempo.

Mas os pontos altos das serras ainda podem ter rajadas em torno de 100 km/h, até o vento diminuir no decorrer da tarde. Veja previsão completa aqui.

 

Mortes

Em Mato Castelhano, um homem morreu após a caminhonete em que ele estava ser levada pela correnteza. Uma outra pessoa, que também estava no carro, conseguiu sair do veículo por conta própria e está segura, segundo os bombeiros.

Em Passo Fundo, um homem morreu após receber uma descarga elétrica durante o temporal. Ele estava em casa e foi resgatado por familiares. A vítima chegou a ser levada para o Hospital Municipal Doutor César Santos, mas não resistiu.

Em Ibiraiaras, duas pessoas morreram ao ficarem presas dentro de um veículo. Conforme a Defesa Civil, elas tentavam atravessar um rio, e o veículo foi levado pela correnteza.

Em Estrela, um homem de 58 anos morreu ao ser atingido por uma descarga elétrica na manhã desta terça (5). De acordo com relatos, Moacir Engster auxiliava um vizinho a retirar móveis de casa por conta da enchente. Ele é pai de um secretário municipal de Teutônia, cidade vizinha, que confirmou a morte.

 

Na live semanal, feita pela manhã desta terça, o presidente Lula falou sobre as chuvas no estado. “Queria dar um comunicado ao RS. Amanhã [quarta-feira (6)], o chefe da Defesa Civil vai ao Rio Grande do Sul. E mais uma vez, dizer ao povo gaúcho que estamos prontos para ajudar naquilo que for necessário”.

Com a melhoria das condições de voo, ainda pela manhã os helicópteros da Brigada Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal serão utilizados nas ações de apoio aos municípios afetados.

A Defesa Civil estadual informou que segue apoiando os municípios, no monitoramento dos riscos hidrológicos e, nessa etapa pós eventos, nas ações de ajuda humanitária que forem necessárias.

Cidades mais atingidas

📍Roca Sales
A cidade de Roca Sales sofreu com uma forte enchente, o que fez com que, durante a madrugada, a prefeitura pedisse para que os moradores subissem nos telhados das residências. “Pedimos que quem consiga suba nos telhados e se agasalhe, o auxílio profissional do estado só virá nas primeiras horas da manhã”, informava um comunicado publicado em uma rede social da prefeitura.

📍Muçum
Ainda na noite de segunda-feira (4), o prefeito de Muçum, Mateus Trojan, publicou um vídeo pedindo para que moradores de áreas alagadas deixassem suas residências e procurassem abrigo. Segundo a prefeitura, o nível do Rio Taquari pode chegar a 25 metros, o que seria a maior enchente da história da cidade.

De acordo com a Casa Militar do RS, o município é um dos mais afetados. Equipes do Corpo de Bombeiros Militar e da Brigada Militar aturaam no resgate às pessoas ilhadas pela água que subiu rapidamente. Foram usadas 10 embarcações no salvamento das pessoas, realizado ao longo de toda a madrugada.

A Defesa Civil estadual também articulou junto ao Exército Brasileiro o apoio de outras três embarcações, que devem chegar à cidade por volta do meio-dia.

📍Farroupilha e Nova Roma do Sul
Na Serra, uma ponte de ferro desabou com a força da correnteza no Rio das Antas, entre Farroupilha e Nova Roma do Sul.

 

📍Santo Cristo
Em Santo Cristo, na Região Noroeste, a tempestade danificou pelo menos cinco casas e galpões. De acordo com o Corpo de Bombeiros Voluntários da cidade, a chuva durou cerca de cinco minutos, e as pedras de granizo deixaram telhados esburacados.

📍Coqueiros do Sul
Em Coqueiros do Sul, na mesma região, um galpão que funcionava como mercearia foi destelhado pelos ventos fortes e chuva. Não houve registro de feridos.

📍Cruz Alta
Em Cruz Alta, também no Noroeste, choveu 51 milímetros, o que causou alagamentos. Pelo menos cinco casas ficaram alagadas e outras duas foram destelhadas. Famílias da cidade receberam lonas do Corpo de Bombeiros.

📍Cachoeira do Sul
Em Cachoeira do Sul, na Região Central do RS, uma casa foi atingida por um raio e ficou parcialmente danificada. A Defesa Civil prestou socorro ao morador, que não ficou ferido.

📍São Jorge
Já em São Jorge, há registro de alagamentos em toda cidade, com cerca de 90 pessoas desalojadas.

📍Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Nova Bassano
Caxias do Sul e Bento Gonçalves registraram alagamentos e queda de árvores por conta da chuva. Em Nova Bassano, na mesma região, pelo menos duas pessoas ficaram ilhadas devido ao aumento do nível do rio.

📍Nova Prata

Um morador de Nova Prata registrou o momento em que uma casa foi arrastada pela água do rio. De acordo com a Defesa Civil da cidade, a imagem retrata a comunidade de Capela São Belin, que foi tomada pela água do Rio Sabiá. A casa que é vista no vídeo estaria abandonada. O município ainda faz o levantamento dos impactos do temporal na população.

Fonte da matéria: G1 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo